Melhores Momentos

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Pontos de Oxossi


OXÓSSI – Entrecruzando Linhas

Oi não se mexe na espada de Ogum
Oi não se mexe na machada de Xangô
Oi não se mexe, nas flechas de Oxossi
Que lá na mata é Rei é caçador
Oi não se mexe, nas flechas de Oxossi
Que lá na mata é Rei é caçador


OXÓSSI

Oxossi é Rei da mata, me dá licença pra chegar
Oxossi é Rei da mata, me dá licença pra chegar
Sem a sua permissão, eu não posso saravar
Sem a sua permissão, eu não posso saravar

Oxossi é Rei da mata, me dá licença pra chegar
Oxossi é Rei da mata, me dá licença pra chegar
Sem a sua permissão, eu não posso saravar
Sem a sua permissão, eu não posso saravar

Quem manda na mata é Oxossi
Quem manda nas águas é Yemanjá
Quem manda nas pedras é Xangô
Quem governa a Bahia é Nagô
Quem manda na mata é Oxossi
Quem manda nas águas é Yemanjá
Quem manda nas pedras é Xangô
Quem governa a Bahia é Nagô


OXÓSSI – Caboclo Ubirajara

Sarava todos Caboclos, que chegam neste Conga
Benvindo nossos irmãos, salve, salve o Jurema
Sarava todos Caboclos, que chegam neste Conga
Benvindo nossos irmãos, salve, salve o Jurema

É o Caboclo Ubirajara, que veio do Jurema
Sarava sua Jurema, sarava seu Jacutá
É o Caboclo Ubirajara, que veio do Jurema
Sarava sua Jurema, sarava seu Jacutá

Caboclo veio da aldeia, ele vem nos ensinar
Que suas ervas benditas, servem pra nos curar




OXÓSSI – Caboclo da Mata Virgem

Okê, Okê, Caboclo, Seu Mata Virgem é na raiz da Orucaia
Okê, Okê, Caboclo, Seu Mata Virgem é na raiz da Orucaia

Mas oh que lindo caçador, naquela mata, onde a Coral piou
Mas oh que lindo caçador, naquela mata, onde a Coral piou


OXÓSSI – Caboclo Rompe Mato

No centro da mata eu vi, dois nomes gravados num toco de pau
No centro da mata eu vi, dois nomes gravados num toco de pau

De um lado Seu Rompe Mato, de outro Seu Cobra Coral
De um lado Seu Rompe Mato, de outro Seu Cobra Coral

No centro da mata virgem eu vi, Seu Rompe Mato falava na língua do Guarany
No centro da mata virgem eu vi, Seu Rompe Mato falava na língua do Guarany


OXÓSSI – Caboclo Rompe Mato

Vermelho é a cor do sangue de meu Pai, e verde é a cor da mata
Vermelho é a cor do sangue de meu Pai, e verde é a cor da mata

Oi sarava Seu Rompe Mato na Jurema, oi sarava, a banda que ele mora
Oi sarava Seu Rompe Mato na Jurema, oi sarava, a banda que ele mora


OXÓSSI – Caboclo Tupinambá

Estava na beira do rio, sem poder atravessar
Chamei pelo Caboclo, Caboclo Tupinambá
Estava na beira do rio, sem poder atravessar
Chamei pelo Caboclo, Caboclo Tupinambá

Tupinambá chamei, chamei, tornei chamar, ê á
Tupinambá chamei, chamei, tornei chamar, ê á


OXÓSSI – Caboclo Rompe Mato

É o Rei, é o Rei, é o Rei do Panaiá e da Jurema
É o Rei, é o Rei, é o Rei do Panaiá e da Jurema

Lá na Jurema, Rompe Mato é o Rei, é o Rei do Panaiá e da Jurema
Lá na Jurema, Rompe Mato é o Rei, é o Rei do Panaiá e da Jurema


OXÓSSI – Caboclo Rompe Mato

Hoje tem alegria no Terreiro de meu Pai
Sarava Seu Rompe Mato que ele é chefe de Conga
Hoje tem alegria no Terreiro de meu Pai
Sarava Seu Rompe Mato que ele é chefe de Congá

Embala eu Babá, embala eu
Embala eu Babá, embala eu
Embala eu Babá, embala eu
Embala eu Babá, embala eu


OXÓSSI

Naquela estrada de areia, lá onde a Lua clareou
Naquela estrada de areia, lá onde a Lua clareou

Onde os Caboclos paravam, para ver a procissão de São Sebastião
Onde os Caboclos paravam, para ver a procissão de São Sebastião

Okê, Okê, Caboclo, Seu Mata Virgem é da raiz da Orucaia
Okê, Okê, Caboclo, Seu Mata Virgem é da raiz da Orucaia


OXÓSSI

Quimbanda, Quimbanda, somos filhos de Umbanda
Quimbanda, Quimbanda, vamos entrar nessa banda
Quimbanda, Quimbanda, Umbanda tem alegria
Quimbanda, Quimbanda, com Deus e Ave Maria
Quimbanda, Quimbanda, Umbanda tem fundamento
Quimbanda, Quimbanda, o meu Pai é Quimbandeiro

Tempo disse, tempo dirá, tempo disse, tempo dirá
Que é funda a raiz da Jurema, que é funda a raiz do Orucá
Tempo disse, tempo dirá, tempo disse, tempo dirá
Que é funda a raiz da Jurema, que é funda a raiz do Orucá

No centro da mata virgem eu plantei raiz nasceu flores
No centro da mata virgem eu plantei raiz nasceu flores
No centro da mata virgem eu plantei raiz nasceu flores
No centro da mata virgem eu plantei raiz nasceu flores


OXÓSSI

Quem manda a Gira girar, oi manda a Gira girar
Quem manda a Gira girar, oi manda a Gira girar
Se é filho da Jurema, neto de Orucá, ele entra na Linha, quem manda a Gira girar
Quem manda a Gira girar, oi manda a Gira girar
Quem manda a Gira girar, oi manda a Gira girar
Se é filho da Jurema, neto de Orucá, ele entra na Linha, quem manda a Gira girar

Apanha Maracanã, Tatamirô, apanha folha por folha, Tatamirô
Que ele é filho da Jurema, Tatamirô, criado no Jurema, Tatamirô
Apanha Maracanã, Tatamirô, apanha folha por folha, Tatamirô
Que ele é filho da Jurema, Tatamirô, criado no Jurema, Tatamirô


OXÓSSI

Ele é Caboclo, ele é Juremeiro, que na alvorada tem penas carijós
Ele é Caboclo, ele é Juremeiro, que na alvorada tem penas carijós
Ele é Caboclo, ele é Juremeiro, que na alvorada tem penas carijós
Ele é Caboclo, ele é Juremeiro, que na alvorada tem penas carijós

Vadeia, oi, vadeia, oi, vadeia meus Caboclos na aldeia
Vadeia, oi, vadeia, oi, vadeia como o vento na areia

Vadeia, meus Caboclos, vadeia, os Caboclos na aldeia e a sereia na areia
Vadeia, meus Caboclos, vadeia, os Caboclos na aldeia e a sereia na areia


OXÓSSI – Chamada

Arreia Capangueiro, capangueiro da Jurema
Arreia Capangueiro, capangueiro Jurema
Arreia Capangueiro, capangueiro da Jurema
Arreia Capangueiro, capangueiro Juremá
Arreia Capangueiro, capangueiro da Jurema
Arreia Capangueiro, capangueiro Jurema

Caboclo, onde você mora
Caboclo, é da samambaia
Caboclo, onde você mora
Caboclo, é da samambaia


OXÓSSI

No alto da serra, capitão da serra, na serra negra, onde Caboclo mora
No alto da serra, capitão da serra, a sua seta é uma jibóia
No alto da serra, capitão da serra, na serra negra, onde Caboclo mora
No alto da serra, capitão da serra, a sua seta é uma gibóia

Estava no alto da serra, grande gibóia que por mim passou
Estava no alto da serra, grande gibóia que por mim passou

Trazia um grande diadema, dizendo que era o Rei dos Caçador
Trazia um grande diadema, dizendo que era o Rei dos Caçador

Yoqui, Yoqui, Yoqui, que bambi oclimi, respondi, agô
Yoqui, Yoqui, Yoqui, que bambi oclimi, respondi, agô

Trazia um grande diadema, dizendo que era o Rei dos Caçador
Trazia um grande diadema, dizendo que era o Rei dos Caçador


OXÓSSI – Caboclo Roxo

Caboclo Roxo, da cor morena, se ele é casuté, casuté da Jurema
Caboclo Roxo, da cor morena, se ele é casuté, casuté da Jurema

Ele jurou e tornou a jurar, de ouvir os conselhos que a Jurema lhe dá
Ele jurou e tornou a jurar, de ouvir os conselhos que a Jurema lhe dá

Ele é Oxossi, dorme na macaia, ele é Caboclo em qualquer lugar
Ele não apanha as folhas da Jurema, sem ordem suprema do Pai Oxalá
Ele não apanha as folhas da Jurema, sem ordem suprema do Pai Oxalá
Ele é Oxossi, dorme na macaia, ele é Caboclo em qualquer lugar
Ele não apanha as folhas da Jurema, sem ordem suprema do Pai Oxalá
Ele não apanha as folhas da Jurema, sem ordem suprema do Pai Oxalá


OXÓSSI – Caboclo Ubirajara

É ele, Demoragy, que vem do Uruguaia, sua aldeia
É ele, Demoragy, Ubirajara da Jurema
É ele, Demoragy, que vem do Uruguaia, sua aldeia
É ele, Demoragy, Ubirajara da Jurema

Ele é Caboclo guerreiro que veste pena, o seu cocar quem lhe deu foi Oxalá
Ele caminha de leve na folha seca, é o Ubirajara dentro do seu Juremá
Ele é Caboclo guerreiro que veste pena, o seu cocar quem lhe deu foi Oxalá
Ele caminha de leve na folha seca, é o Ubirajara dentro do seu Juremá


OXÓSSI – Cabocla Jurema

Ela vem de longe, de longe sem imaginar
No capacete três penas, no braço uma Cobra Coral
Ela vem de longe, de longe sem imaginar
No capacete três penas, no braço uma Cobra Coral

Ela é a Jurema, do seu Jurema
Cabocla primeira, Rainha do seu Jacutá
Ela é a Jurema, do seu Jurema
Cabocla primeira, Rainha do seu Jacutá

O meu pai é ganga, minha mãe é guinga
Eu também sou filho de ganga zumbá
Re, re, re ,re, re, re, re, re, re, ra
O meu pai é neto, filho da cobra coral
Re, re, re ,re, re, re, re, re, re, ra
O meu pai é neto, filho da cobra coral
O meu pai é ganga, minha mãe é guinga
Eu também sou filho de ganga zumbá
Re, re, re ,re, re, re, re, re, re, ra
O meu pai é neto, filho da cobra coral
Re, re, re ,re, re, re, re, re, re, ra
O meu pai é neto, filho da cobra coral


OXÓSSI – Caboclo Ubirajara

Estrela Dalva é sua guia, Ubirajara Caboclo valente
Estrela Dalva é sua guia, Ubirajara Caboclo valente

Ubirajara mora lá na mata, lá na grota funda, lá no Jurema
Ubirajara mora lá na mata, lá na grota funda, lá no Jurema


OXÓSSI – Cabocla Helena

Alumeia o mundo, Helena, enquanto a Lua não vem, helena
Alumeia o mundo, Helena, enquanto a Lua não vem, helena

Ela vem caminhando, Helena, vem no passo da Ema, Helena
Ela vem caminhando, Helena, vem no passo da Ema, Helena


OXÓSSI – Caboclo Tamandaqué

Na sua aldeia, tem tupiniquim, na sua mata tem tucurucum
No seu saiote tem pena encarnada, no seu penacho tem pena dourada
No seu saiote tem pena encarnada, no seu penacho tem pena dourada

Tamandaqué tem penas carijós, que atravessam as margens das cachoeiras
Ele vem do alto daquela serra, ele vem da selva morena
Ele vem do alto daquela serra, ele vem da selva morena


OXÓSSI – Caboclo Jequiriçá

Sereno que cai, são horas, é madrugada, sereno que cai, nas matas do Uruguaia
Sereno que cai, são horas, é madrugada, sereno que cai, nas matas do Uruguaia

Como caminha, como caminhou, como caminha, como caminhou
Caboclo Jequiriçá, na hora divina ele sempre chegou
Caboclo Jequiriçá na hora divina ele sempre chegou
Como caminha, como caminhou, como caminha, como caminhou
Caboclo Jequiriçá, na hora divina ele sempre chegou
Caboclo Jequiriçá na hora divina ele sempre chegou


OXÓSSI

Seu irmão é Flor do Dia, Flor da Manhã e Pena Dourada
Seu irmão é Flor do Dia, Flor da Manhã e Pena Dourada
Ele é o orvalho da noite, sereno da madrugada
Ele é o orvalho da noite, sereno da madrugada
Seu irmão é Flor do Dia, Flor da Manhã e Pena Dourada
Seu irmão é Flor do Dia, Flor da Manhã e Pena Dourada
Ele é o orvalho da noite, sereno da madrugada
Ele é o orvalho da noite, sereno da madrugada

Mundera alumeia o mundo, Helena a imensidão
Mundera alumeia o mundo, Helena a imensidão
Papaceia vem guiando, chefe guerreiro Indio Jaguarão
Papaceia vem guiando, chefe guerreiro Indio Jaguarão


OXÓSSI – Caboclos Pena Verde e Pena Branca

Eu vi na margem do rio, em linda manhã serena
Eu vi na margem do rio, em linda manhã serena

Caboclo Seu Pena Verde, firmando ponto na areia
Caboclo Seu Pena Verde, firmando ponto na areia

Galo cantou na serra, a mata estremesseu
Galo cantou na serra, a mata estremesseu

Caboclo Seu Pena Branca, na cachoeira apareceu
Caboclo Seu Pena Branca, na cachoeira apareceu

Ele é Caboclo Guerreiro, que mora no rochedo
Somente Cobra Coral, conhece dele o segredo
Ele é Caboclo Guerreiro, que mora no rochedo
Somente Cobra Coral, conhece dele o segredo


OXÓSSI – Caboclo Ubirajara (Subida)

Ubirajara vai embora, o que lhe dão pra levar
Ubirajara vai embora, o que lhe dão pra levar

Se lhe dão flores brancas, ou a raiz do Jurema
Se lhe dão flores brancas, ou a raiz do Juremá
Ubirajara vai embora, ele vai sem imaginar
Ubirajara vai embora, ele vai sem imaginar

Vai pela margem do rio, pelo pio da Coral
Vai pela margem do rio, pelo pio da Coral


OXÓSSI – Caboclo Bem-Te-Vi e Jurema

Olha o meu passarinho azulão, quando voa não pousa no chão
Olha o meu passarinho azulão, quando voa não pousa no chão

Bem-Te-Vi, caboclo de Pena, Peito de Ema, bodoque na mão
Bem-Te-Vi, caboclo de Pena, Peito de Ema, bodoque na mão

Olha o meu passarinho azulão, quando voa não pousa no chão
Olha o meu passarinho azulão, quando voa não pousa no chão

Sarava a Cabocla Jurema, peito de ema bodoque na mão
Sarava a Cabocla Jurema, peito de ema bodoque na mão


OXÓSSI – Cabocla Jurema

Salve a Cabocla Jurema, saiote de pena, bodoque na mão
Sarava a Cabocla Jurema, peito de ema, bodoque na mão


OXÓSSI – Cabocla Jurema

Jurema, seu saiote é muito lindo, seu capacete é de pena, Jurema
Jurema, ela vem lá da tocaia, saravando a sua saia, saravando a sua saia


OXÓSSI – Caboclo Tupinambá

A sua flecha lá no ar ele atirou, um Aymoré na Calunga saravou
A sua flecha lá no ar ele atirou, um Aymoré na Calunga saravou

Ele que é, flecheiro atirador, um bom Tupy na Umbanda é vencedor
Ele que é, flecheiro atirador, um bom Tupy na Umbanda é vencedor

Tupy, Tupy, Tupy, Tupynambá
Tupy, Tupy, Tupy, Tupynambá
Ele é Rei dos Caboclos, filho de Abanayá
Ele é Rei dos Caboclos, filho de Abanayá
Tupy, Tupy, Tupy, Tupynambá
Tupy, Tupy, Tupy, Tupynambá
Ele é Rei dos Caboclos, filho de Abanayá
Ele é Rei dos Caboclos, filho de Abanayá
OXÓSSI

Caboclo não tem caminho para caminhar
Caboclo não tem caminho para caminhar

Caminha por cima da folha, por baixo da folha, por todo lugar
Caminha por cima da folha, por baixo da folha, por todo lugar


OXÓSSI

Lá na mata, piou, piou, lá na mata, piou, piou, lá na mata, piou, piou
O Rei da Mata chegou
Lá na mata, piou, piou, lá na mata, piou, piou, lá na mata, piou, piou
O Rei da Mata chegou

Oxossi é Rei da Mata, é vencedor de demanda
É Orixá consagrado, coroado na nossa Umbanda


OXÓSSI

Vestimenta de caboclo é samambaia, é samambaia
Vestimenta de caboclo é samambaia, é samambaia

Saia Caboclo, não se atrapalha, saia do meio da samambaia
Saia Caboclo, não se atrapalha, saia do meio da samambaia


OXÓSSI – Caboclo Sete Estrelas

Lá do pé de um coqueiro aonde o Seu Calunga está
O Caboclo Sete Estrelas vem na Umbanda Saravar
É linha é Linha, vamos linhar, é Linha, é Linha, vamos linhar


OXÓSSI – Cabocla Iracema

Cabocla Iracema, quando vem da aldeia, ela traz na cinta uma Cobra Coral
Cabocla Iracema, quando vem da aldeia, ela traz na cinta uma Cobra Coral

É uma Cobra Coral, é uma Cobra Coral, é uma Cobra Coral, é uma Cobra coral


OXÓSSI

Seu caçador da beira do caminho, oi não me mate essa Coral na estrada
Ela abandonou sua choupana, caçador, foi no romper da madrugada
Ela abandonou sua choupana, caçador, foi no romper da madrugada

OXÓSSI – Caboclo Sete Flechas

Ê, ê, ô, Caboclo Sete Flechas no Congá
Ê, ê, ô, Caboclo Sete Flechas no Congá

Sarava Seu Sete Flechas, ele é o Rei da mata
O seu bodoque atira oi paranga, sua flecha mata
Sarava Seu Sete Flechas, ele é o Rei da mata
O seu bodoque atira oi paranga, sua flecha mata



Sobre o Autor:

Leia Mais sobre o propósito da existência do blog »

facebook twitter google plus

Cristiane Marquesi CRISTIANE MARQUESI é escrevente e blogueira. Formada em Técnico de Contabilidade e Administração, pensa ainda em cursar mais. Mora em Laranjal Paulista, cidade do interior do Estado de São Paulo. Criadora do [ Meu Querido Diário ] que vem se destacando por todo território nacional e internacional. Adora as redes sociais, curtir e compartilhar todo tipo de assunto. UM PENSAMENTO | A sua profissão é privilégio e aprendizado. Se você puser amor naquilo que faz, para fazer os outros felizes, a sua profissão, em qualquer parte, será sempre um rio de bênçãos.

Legado

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...